Voz do leitor: "Prefeitura exigiu-me comprovação em cartório de que sou afrodescendente"

Leitora aprovada em concurso da prefeitura telefonou para o blog há pouco para fazer uma reclamação. Ela conta que esteve hoje na repartição municipal da rua Santa Tecla, esquina com Cassiano, levando documentos exigidos para efetivação como servidora. Garante que os documentos estavam de acordo com o edital, mas que não pode ser efetivada, pois o funcionário que a atendeu exigiu dela "comprovação registrada em cartório de que ela é afrodescendente".

A leitora reclamou da exigência, já que, segundo ela, o edital do concurso determina aos candidatos que se enquadram na cota de afro-descendentes que façam apenas "auto-declaração" como tal. A leitora diz que se declarou afrodescendente na inscrição do concurso. "Além do tal registro em cartório não constar do edital (reprodução abaixo), essa exigência é inócua, já que não serve como prova se tenho ou não sangue negro, embora eu tenha", disse.

Ela fez outra reclamação. Segundo ela, embora o expediente de atendimento da prefeitura só termine às 14h, a repartição mencionada fechou as portas ao público às 12h, alegando que, se permitissem a entrada de pessoas até às 14h, teriam de sair do trabalho depois do fim do expediente. "Fico pensando naqueles aprovados que vieram de outras cidades e que não puderam entrar para regularizar sua situação. Terão de passar o fim de semana em Pelotas, sabe-se lá como, para voltar à repartição só na segunda, um absurdo", diz a leitora. Depois de registrar em cartório que "é afrodescendente", ela também terá de voltar à repartição na próxima segunda-feira.

14 comentários:

Anônimo disse...

"Segundo ela, embora o expediente de atendimento da prefeitura só termine às 14h, a repartição mencionada fechou as portas ao público às 12h, alegando que, se permitissem a entrada de pessoas até às 14h, teriam de sair do trabalho depois do fim do expediente."

Eis a cara da esmagadora maioria, eu digo esmagadora maioria, dos servidores municipais de Pelotas. Há sempre aquela meia-dúzia de trabalhadores que cumprem os horários corretamente e são eficientes nas suas tarefas. O resto, bem.... É apenas o resto. Eis a prova viva do descaso com aqueles que pagam os salários destes preguiçosos.

A solução é bastante pontual: RUA!

Anônimo disse...

E, claro, o fato de exigir comprovação da afrodescendência...

Sem comentários. Absoultamente ridículo.

Anônimo disse...

Nunca tinha escutado isso, comprovar em cartório sua afrodescendência... Existe tal comprovação em cartório? Tem que pagar? Como se fosse reconhecer firma? Não acredito!

Anônimo disse...

Se Hitler fosse vivo e estivesse desempregado, com certeza faria uma declaração de afrodescendencia, o que vale é entrar nas cotas. Porisso que as cotas devem ser revistas, pessoas passam o ano inteiro disfarçando sua descendencia, pintando o cabelo de louro, não pegando sol, enfim renegando suas origens, mas na hora de correr atraz de uma vaga na universidade,ou em um emprego público, eles apresentam a tal declaração. Eu acho que nesses casos uma simples declaração não basta, uma pessoa de pele clara, olhos verdes e cabelo louro, tem que comprovar oficialmente sua descendencia, afinal de contas, alguém vai ficar sem essa vaga.

Natália R. disse...

Bah! Comprovação em cartório de afrodescendência é piada!!

gina disse...

O esforço para deflagrar uma guerra étnica permite aberrações como essa.Que loucura!

Anônimo disse...

Mas essa moça é negra ou branca? Ou vão me dizer que não existem brancos na áfrica?

Anônimo disse...

Este exemplo demonstra bem o absurdo da política de quotas.

Anônimo disse...

Só deveria haver um critério: COMPETÊNCIA.

Anônimo disse...

Quem poderá garantir que eu seja italiana? Sou negra sarará, olhos azuis e cabelo encaracoladíssimos.
Pai e mãe nascidos na Itália.
Cada vez que digo ser italiana, crio uma confusão...
Giorgia.

Anônimo disse...

Por isso que eu digo: O critério da competência sempre é melhor e mais justo!

Anônimo disse...

Como assim, "pessoas passam o ano inteiro disfarçando sua descendencia, pintando o cabelo de louro, não pegando sol, enfim renegando suas origens"?? Quer dizer que para ser negro não se pode mudar o cabelo nem evitar os malefícios do sol? Que ridículo.

Anônimo disse...

é isso , que acontece quando se fazem leis sem pensar, apenas pra disfarçar a discriminação. ela independe da cor.

Anônimo disse...

e desde quando cor da pele é critério para se estabelecer privilégios e vagas?

tem mais é que causar confusão mesmo.
Cor da pele deve ser INDIFERENTE.