Cesare Battisti debate em Pelotas




Do site do Instituto Mario Alves
Ex-guerrilheiro italiano, condenado à prisão perpétua pela Justiça de Milão, ativo na Itália no fim dos anos 70 – os chamados anos de chumbo – período marcado pela violência política; vivências na França e no Brasil, liberdades e permanencias. Estas são apenas partes da história de Cesare Battisti, convidado do Instituto Mário Alves para estar presente em Pelotas no próximo dia 14/06.

A atividade contará com o lançamento do seu mais recente livro "Ao pé do Muro" que conta a história de Augusto, foragido internacional que vem para o Brasil em busca de proteção. As belezas e tristezas de um país tão intenso e colorido, emotivo e sofrido, são filtradas pelo olhar do protagonista, que observa o novo mundo tanto do lado de dentro quanto de fora dos muros da prisão.

O debate também contará com a presença do Jornalista Edu Jacques, que em sua pesquisa acadêmica analisou o discurso proferido pelo jornal 'La Repubblica' sobre o episódio que foi o ápice da crise entre os dois países, a concessão de refúgio ao Battisti pelo então ministro da justiça Tarso Genro.

14 comentários:

Anônimo disse...

Credo era só o que faltava um criminoso palestrante.... mas para alguns doentes criminoso de esquerda (terrorista) é bonito. Para os coitados dos atletas Cubanos Tarso não deu refúgio.

Pedro Henrique Caldas disse...

Esse pessoal que traz o Battisti a Pelotas já poderia agendar alguma palestra com o Fernandinho Beira-Mar, o gaúcho Papagaio, bem como de outros bandidos que não se valem de cargos ou influência política para meter a mão em dinheiro que não lhes pertence.

Anônimo disse...

Temos criminosos demais na cidade, será apenas mais um, só que com a notoriedade que a vertente reinante lhe concedeu. Só falta vir o Ahmadinejad do Irã com seu amigo Lula a tiracolo para palestrar sobre suas técnicas de acalmar seu povo: a violência!

Se quiserem prestigiar de verdade este péssimo exemplo, façam-se ausentes, será um bom momento de deixa-lo as moscas e ajudar a justiça da Itália.

Anônimo disse...

Bom mesmo era ele fazer esse debate na serra gaúcha , para os descendentes de italianos , aqui em Pelotas é capaz desse bandido ser aplaudido !!!

Adeni Renato disse...

Este post deve ser alguma "pegadinha" do Amigos. Se não for, certamente o "ilustre" palestrante terá uma "seleta" platéia de amigos e "colegas" que ficarão honrados com tão nobre presença. O local é perfeito pelas suas características éticas e políticas.

Anônimo disse...

Rodeio na Fenadoce, Cesare Battisti palestrando aqui... Só falta agora o Lula anunciar que vai morar em Pelotas. Só coisa ruim! Que vergonha!

Roberto disse...

Rumores dão conta de que ele confirmou que assinará a moção de apoio ao reitor, pessoa que, a exemplo dele, é alvo de "injustas perseguições".

Lauro Borges disse...

este comentário vai para todos os acéfalos comentaristas acima, tanto aos que assinaram qto aos anônimos:

é impressionante o número de bestas que repetem, letra a letra, os argumentos vomitados pelos "especialistas" da grande mídia empresarial.

o caso Battisti é apenas mais um dos julgamentos feitos sem nenhum conhecimento e nenhuma preocupação com o contexto histórico.

apenas para lembrar, Battisti esteve morando durante muitos anos na França, em consequência de uma decisão do então presidente Mitterrand de conceder refúgio a todos os ex-guerrilheiros italianos que tivessem renunciado às armas. isto foi aceito sem maiores problemas pelo governo italiano.

só com a eleição de Chirac na França e com a mudança de política do governo italiano, desta vez já dirigido pelo "capo" Berlusconi, foi permitida a extradição de Battisti para a Itália.

no tempo em que morou na França, Battisti consolidou sua carreira de escritor e foi reconhecido por grande número de intelectuais naquele país e em outros países da Europa. muitos deles defenderam, sem hesitação, sua permanência na França e, recentemente, no Brasil.

portanto, esta história tem dois lados, apesar de não o quererem os poderosos de sempre e seus papagaios amestrados.

para aqueles que cultivam o perigoso hábito de pensar e refletir, fica o convite para o lançamento do livro de Battisti, em que um jornalista formado em Pelotas irá apresentar seu trabalho sobre a repercussão do caso Battisti na mídia italiana.

para aqueles que deixam o ato de pensar para os "especialistas", que sejam felizes na sua ignorância.

Lauro Borges

Pedro Henrique Caldas disse...

Nada como estabelecer uma troca de idéias, de opiniões enfim, com mentes ilustradas e democráticas...
Vendo os que as pessoas fazem com as palavras, quando algo ou alguém não lhes agrada, imagina-se o que fariam se pudessem portar armas sob o manto protetor de um Estado de exceção, seja de direita ou de esquerda...

Luciano "blues" Teixeira disse...

É a insana obtusidade "redeglobal" admoestando os cérebros incautos... Bela explanação, Lauro!!!

Anônimo disse...

Imperdível! A chance de ouvir as palavras direto da boca do Cesare, aqui na cidade! Nada mais justo! Livres do fitro da grande mídia que, sem conhecer totalmente a verdadeira historia, julga e condena - e agora, silencia completamente, por isso as pessoas ficam espantadas...
Besaleu

Adeni Renato disse...

Só uma pergunta aos "sábios e doutos comentaristas" defensores do palestrante Cesare: Se o STF autorizou a extradição de Battisti, condicionada a decisão presidencial, então os desembargadores são um bando de bestas, sem saber jurídico algum, ou então fariam parte do " número de bestas que repetem, letra a letra, os argumentos vomitados pelos "especialistas" da grande mídia empresarial" ?

Sérgio disse...

Não tenho ainda opinião formada sobre Cesare Battisti. Mas tenho sim uma péssima opinião sobre nossa grande mídia e sobre um bom número de desmbargadores do STF.

Anônimo disse...

Os desembargadores queriam devolver o embrulhão para a Itália, quem manteve ele aqui foram os "amiguinhos" que esculhambam com o país e com a lei, estão acima da lei, e fazem o que querem. O Lula não quer o julgamento do mensalão. Por muito menos o Collor foi chutado.
O país virou uma piada de mau gosto, o Batisti faz parte do morfético cardápio.